Google Street View mostra os fantásticos Vulcões de Vanuatu | Pplware Kids

Google Street View mostra os fantásticos Vulcões de Vanuatu

O Google Street View tem como missão filmar e fotografar o mundo (e não só) em que vivemos e grande parte do que não conseguimos alcançar pelos meios tradicionais.

Com a tecnologia de captação de imagem da Google e catalogação desses conteúdos em formato geográfico, conseguimos ver o mundo por outros olhos, pelos olhos do Google Street View e pela primeira vez podemos ver os fantásticos Vulcões de Vanuatu.


Pela primeira vez na história do Google Street View, é possível conhecer in loco um dos lagos de lava incandescente de uma das ilhas de Vanuatu localizados no sul do Oceano Pacífico. ​O Street View Trekker esteve dentro de um vulcão activo e capturou imagens surpreendentes de lagos de lava activos.

O país remoto de Vanuatu fica a mais de mil milhas da costa da Australia e trata-se de um arquipélago composto por 80 ilhas minúsculas – repleto de densas florestas tropicais, praias de areia preta e nove vulcões em erupção.

A partir de hoje, é possível, através do Google Maps, juntar-se a nós numa viagem ao limite de um dos maiores lagos de lava do mundo em Ambrym, a ilha vulcânica no arquipélago de Vanuatu. Para conseguirmos chegar dentro do vulcão activo, colaborámos com dois exploradores – Geoff Mackley e Chris Horsly – que desceram 400 metros em rappel pela cratera Marum equipados com o Google Trekker de forma a recolherem imagens de 360º da viagem até ao lago de lava incandescente que praticamente é do tamanho de dois campos de futebol americano. “Só nos apercebemos como os humanos são insignificantes quando estamos perante um lago gigante de lava incandescente. É como olhar para a superfície do sol”, afirma Mackley.

Depois de voltar da sua descida à cratera, Chris Horsly afirmou que “o facto de estarmos na beira do vulcão e sentir o calor a lamber a nossa pele é algo fenomenal. Depois de colocarmos este local no mapa, espero que as pessoas se apercebam do magnifico mundo em que vivemos”.

A ilha de Ambrym é definida pela sua caldeira com 12 kms de largura onde estão situados dois cones vulcânicos activos – Benbow e Marum. Contudo, esta ilha tropical é também habitada por mais de 7,000 pessoas que vivem na floresta tropical abaixo da montanha. Ao mesmo tempo que o vulcão tem desempenhado um papel significativo na definição da sua história devido a erupções imprevisíveis e respectiva influência na agricultura e meio ambiente, a população aprendeu a viver em harmonia com este belo, mas mortal fenómeno natural.

“Acreditamos que os vulcões Marum e Benbow são o diabo. Caso alguém pretenda ir até ao vulcão tem de ter bastante cuidado, pois os dois vulcões podem, a qualquer momento, acordar. Para nós, Benbow é o marido e Marum é a esposa e quando não concordam, existe uma erupção o que significa que o espírito está zangado. E, nesta altura, sacrificamos um porco ou outro animal em honra do vulcão.”, afirma Chefe Moisés da aldeia local Endu.

Arquivado na categoria: Curiosidades


Deixar uma resposta


Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.