Este é o cérebro de alguém que está a “ver Deus” | Pplware Kids

Este é o cérebro de alguém que está a “ver Deus”

Como reagirá o nosso cérebro quando vimos uma “entidade divina?”

Relatos de casos médicos são uma colecção de fenómenos incríveis e, algumas bizarrices, com a mulher que tem alucinações nas quais o rosto das pessoas é transformado em dragões. Estes exemplos permitem uma visão momentânea da experiência única de um paciente, ou algum tipo de anomalia médica ainda não explicada.

pplware_registo_episodio_religioso00


Recentemente uma equipa de investigadores israelitas relatou como um paciente teve uma intensa experiência religiosa durante um tratamento de epilepsia, que fez com que ele visse e conversasse com Deus. Tudo isso enquanto estava ligado a um scanner de eletroencefalograma.

pplware_registo_episodio_religioso

O paciente, que tem 46 anos, nunca foi particularmente religioso, apesar de se identificar como Judeu. Mas então o que fez com que um “descrente” tivesse uma intensa experiência religiosa na presença de alguns neurocientistas?

 

A Epilepsia e as alucinações “da verdade”

Epilepsia do lobo temporal direito, este é o problema que o paciente sofreu durante a vida inteira, um tipo de epilepsia no qual as convulsões e ataques começam no lobo temporal, e causam emoções estranhas, ou fazer velhas memórias serem revividas, ou causam alucinações de vozes, músicas, pessoas, cheiros, ou sabores. Estas experiências duram poucos segundos, ou no máximo alguns minutos.

EEG_Recording_Cap

 

Que tipo de tratamento poderá ser prescrito?

O tratamento, neste caso, envolvia parar de tomar a medicação anticonvulsiva – drogas que suprimem a descarga eléctrica anormal das células nervosas do cérebro e evitam que estas descargas se espalhem para outras regiões do cérebro.

Veja o relato dos médicos durante o eletroencefalograma que registrou o cérebro do paciente enquanto ele alucinava estar a falar com Deus:

“Enquanto deitado no leito, o paciente subitamente ‘congelou’ e ficou a olhar para o tecto por vários minutos, declarando mais tarde que sentiu que Deus estava a aproximar-se dele. Ele então começou a recitar orações calmamente, e procurou o seu Kippa (chapéu sem aba cerimonial dos judeus), colocou-o na cabeça, recitando as suas orações mais intensamente.

“Então, abruptamente, ele gritou ‘E você é Adonai (nome do Deus Hebreu) o Senhor!’ declarando mais tarde que Deus se revelara a ele, ordenando que ele trouxesse a redenção ao povo de Israel.”

Mesmo depois de tirar os eletrodos, o paciente ficou a vaguear pelo hospital, dizendo a quem quer que ele encontrasse que “Deus me mandou para si”.

pplware_registo_episodio_religioso01

 

E o que revelou o registo da actividade cerebral?

O relatório aponta um pico de actividade na banda gama baixa (30-40 Hz) no cortex prefrontal esquerdo no momento exacto da experiência sobrenatural – o lado oposto do cérebro onde as convulsões se originam. O diagnóstico era que o paciente estava a experimentar “delírios religiosos de revelação e zelo missionário no contexto da psicose pós-ictal” (PPI).

 

E o que é a PPI?

Uma complicação severa, mas rara, que pode seguir-se a uma convulsão (daí o “pós-ictal”), normalmente causando alucinações visuais ou auditórias, delírios, paranoias e às vezes até mesmo agressão. Mas ninguém sabe dizer a razão deste paciente ter um PPI desta vez, sem nunca ter tido antes, ou por que esta ter sido de natureza religiosa.

Via: Hypescience

Arquivado na categoria: Curiosidades


Deixar uma resposta


Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.



×