Australianos criam roupa que se limpa sozinha | Pplware Kids

Australianos criam roupa que se limpa sozinha

Não é só no segmento dos dispositivos móveis que a evolução se dá a olhos vistos. Nas fibras, nos tecidos e no vestuário, essa evolução é igualmente sustentada.

No avanço da tecnologia, uma equipa na Universidade RMIT, na Austrália conseguiu fabricar tecidos que têm a capacidade de se auto-limparem. Mas como é que isso é possível?

roupa_estendal


Roupa que de “lava” ao sol?

De facto esta limpeza é possível, pelo facto do tecido ser compostos por nano-partículas. Estas conseguem eliminar os resíduos bastando um pouco de energia solar.

O conceito é curioso e poderá, num futuro próximo, tornar os métodos tradicionais, as próprias máquinas de lavar, num conceito obsoleto. Agora, de forma totalmente sustentável até para o ambiente, bastam seis minutos de luz solar para estas nano-partículas comecem a reagir e a degradar a sujidade.

Esta ideia, contudo, não é nova. Investigadores chinesas já haviam deixado um conceito semelhante, contudo a necessidade de exposição ao sol era muito superior.

tecido_microscopio

 

O que está “por trás” desta inovação?

Os investigadores, liderados por Rajesh Ramanathan, criaram nano-estruturas à base de prata e cobre, materiais que são conhecidos pela sua capacidade de reagir à luz. Desta forma, quando estas nano-estruturas são expostas à luz do sol, recebem um impulso de energia que aquece os electrões. Estes “electrões quentes” libertam uma energia que faz com que as nano-partículas comecem a degradar matéria orgânica.

Quando poderemos ter a inovação na nossa roupa?

Embora na teoria funcione e na prática de laboratório também, falta agora conseguir que os investigadores desvendem a forma certa para que estas nano-estruturas possam ser embutidas nos têxteis. Para tentar passar à próxima fase, a equipa decidiu mergulhar os tecidos diretamente em várias soluções à base de nano-partículas de prata e cobre para que estas se fixassem nos tecidos.

 

Chegam seis minutos de luz

No comunicado enviado pelos investigadores, este garantem que quando os tecidos foram expostos à luz solar, ficaram totalmente limpos, de forma expontânea e em menos de seis minutos”.

O próximo passo será testar estes têxteis na limpeza de matérias orgânicas mais relevantes para os consumidores, como é o caso das nódoas mais comuns de molho de tomate ou de vinho.

Referiu Ramanathan.

Esta pesquisa foi publicada em Março no Journal of Advanced Materials Interfaces.

Arquivado na categoria: Curiosidades


Deixar uma resposta


Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.