6 gadgets antigos vendidos na Internet a preços exorbitantes | Pplware Kids

6 gadgets antigos vendidos na Internet a preços exorbitantes

Diariamente a tecnologia está a ser actualizada. O computador ou o telemóvel que compramos hoje, amanhã deixa de ser algo ‘recente’, estando as marcas constantemente a lançar novidades que substituem as tecnologias já lançadas.

Mas, no senso comum, a tecnologia que tem alguns anos perde valor… mas não é bem assim pois na Internet podemos encontrar, por exemplo, 6 gadgets antigos à venda a um preço… bastante elevado!

gadgets antigos



Aqui fica a lista, caso estejam interessados na compra de algum destes gadgets antigos, de pouco ou nada servem, mas que estão à venda a um valor… demasiado alto.

1 – iPod Classic

 

ipod_classico

Na década de 2000 a Apple teve  o “poder da venda da música” online e os seus dispositivos, o iPod foram reis e senhores. Em 2001 a empresa de Cupertino colocava no mercado o iPod clássico com slogan “1,000 songs in your pocket”. Esta viria a ser a forma revolucionária de ouvir música – o iPod Classic.

Em 2014 a Apple descontinuou o iPod Classico quando este ia já na sua sexta geração, onde a evolução havia já passado até por incorporar vídeo. Esta notícia, no mercado dos usados, fez disparar o seu preço pois, em Novembro, um exemplar foi vendido por 80.000€.

Um outro exemplar, de 5GB, foi vendido a cerca de 18.000€ , outro de 20GB conseguiu ser vendido por 7.000€ e um outro de 10GB foi comprado por 2.200€.

 

2 – iPhone – primeira geração

iphone

Ainda hoje esta é uma peça que tem um valor incalculável no mercado dos usados e dos coleccionados (sim, o primeiro entra já como peça de colecção). Corria o ano de 2007 e o mercado via chegar a revolução nos dispositivos móveis de comunicação, o iPhone. Actualmente serão muito poucos ou quase nenhuns os que ainda o utilizam. Contudo, Maio deste ano, um exemplar de 4GB foi vendido na Austrália por pouco menos de 10.000€.

 

3 – Nokia 3210

nokia 3210

O Nokia 3210 é um campeão de durabilidade. Apareceu no mercado em março de 1999 e há uma verdadeira loucura, nalguns países, em volta deste gadget. Este foi o Nokia que introduziu o jogo da Serpente, por exemplo, o tipo de escrita T9 e outras novidades, além de ter sido um telemóvel muito barato, o que o tornou no mais vendido de sempre, estima-se que tenha vendido algo como 160 milhões de unidades.

Este dispositivo foi rampa de lançamento para o sucesso dos seus sucessores, o 3310 ou 3330, que também venderam milhões de unidades e são hoje ícones desta indústria. Para terem uma ideia deste sucesso, em Abril deste ano, um britânico conseguiu vender o seu Nokia 3210 por cerca de 7.000€.

 

4 – Walkman

 

walkman1_1436143i

O Walkman original azul e prateado, modelo TPS-L2, foi colocado à venda no Japão em 1 de julho de 1979. Actualmente são muitos os jovens que não se lembram desta tecnologia. O Walkman era o gadget onde se colocava uma cassete para se poder ouvir o seu conteúdo.

Foi um autêntico sucesso de 1980 até cerca do ano 2000 e, há pouco tempo, um australiano vendeu o seu – ainda na caixa e por abrir – no eBay por 1.900€ sendo que numa outra altura, um outro dono vendeu o seu Walkman por quase 700€.

 

5 – Game Boy original

game-boy

O primeiro Game Boy, uma consola pequena, portátil com vídeo a 8-bit foi lançado pela Nintendo em Abril de 1989. Esta gadget, que começou logo a fazer mexer o mercado de forma anormal, chega  à América do Norte em Julho de 1989 e só em Setembro de 1990 a Europa o recebe no seu mercado… mas a loucura estava instalada.

O primeiro GameBoy foi lançado em 1989 e teve tanto sucesso que foram vendidos mais de 32 milhões de exemplares (no total de todas as versões, estima-se que tenham sido vendidas mais de 120 milhões de consolas).

Conhecido sobretudo pelo famoso jogo Tetris, em Maio foi vendido, nos Estados Unidos por mais de 900€ e há ainda o conhecimento de outro caso em que foi vendido por 650€.

 

6 – PlayStation One

PlayStation-SCPH-1000-with-Controller

A PlayStation também, conhecida como PlayStation 1 ou ainda PSOne, foi a primeira consola de jogos de vídeo fabricada pela Sony. O seu lançamento fi a 3 de Dezembro de 1994 no Japão, 9 de Setembro de 1995 nos Estados Unidos  e só chegou à Europa a 29 de Setembro de 1995.

Desde o seu lançamento até 2006, altura em que a sua produção foi cancelada, o PlayStation vendeu mais de 100 milhões de unidades. Ocupa a posição da segundo consola de mesa mais vendido no mundo, com mais de cem milhões de unidades vendidas, superada apenas pela sua sucessora a PlayStation 2, que teve mais de 150 milhões de unidades comercializadas

Esta consola tornou-se, em muito locais, num símbolo dos vídeo-jogos e há em Maio deste ano um exemplar da PS1 por quase 800€ e outro por 620€.

Mas esta loucura não se fica por aqui: no mercado livre mexicano, estas consolas chegam a custar 1.200€.

 

Vejam em casa se têm algum gadget destes.

via | BBC

Arquivado na categoria: Curiosidades


37 Comentários

  1. Faltou o Lumia 950 XL.

  2. Onde se pode vender a esses valores?

    Ainda tenho algumas dessas coisas aqui por casa a funcionar 😀

  3. Iphone no ano 2000? Algo está errado.

  4. Tenho o Gameboy original

  5. Ainda tenho um 3210 e um 5110… Grandes máquinas… Grandes mesmo e pesadas hehehehe
    Pra pequenos tenho o Ericsson T28s e o Nokia 8210… A funcionar! 🙂

  6. Isto é tão enganador… podiam meter os links para os negocios para ver se realmente foram vendidos por esses preços e em que condiçoes foram vendidos. Para alem disso, no mexico podem pagar 500e por uma ps1 e cá não valer 1 batata.

  7. Gostava de saber as fontes que foram utilizadas para fazer este artigo, tanto na parte dos preços como no resto…
    Apenas vou comentar sobre as consolas, que é a única coisa, das mencionadas neste artigo, de que tenho conhecimento (apesar de ter sérias dúvidas em relação aos outros também…).

    1º – o Game Boy original não vendeu 120 milhões de unidades. Esse número corresponde ao conjunto de vendas das várias versões que a consola teve (original, Pocket, Light e Color).

    2º – aqueles preços que anuncia ali a que foram vendidos (se forem mesmo reais) foram “atirados para o ar” sem explicar as condições da consola. Nenhum simples Game Boy é vendido por esse preço…

    3º – a Playstation One é uma versão da consola (mais pequena e arredondada), e não o nome original (apenas Playstation ou PS1, se se quiser usar a abreviatura).

    4º – a Playstation foi lançada em 1994… Em 2000 já tinha saído a PS2!!!

    5º – novamente esses preços…não sei de onde é que eles saíram, mas certamente que não foram da realidade actual, onde pode comprar uma consola dessas por preços entre os 20 e os 50€, à vontade.

    • Miguel, alguns pontos continuam informação a menos mas para se perceber melhor e não obrigar as pessoas a pesquisar, foi aumentada a informação. Embora estivesse lá a essência.

      Assim:

      1º – O Game Boy original de facto apenas vende cerca de 35 milhões de unidades

      2º – Os preços estão referidos nos links, não foram atirados para o ar. Já agora sustente a sua afirmação que nenhuma consola é vendida a esse preço (se conseguir claro, porque está a tirar para o ar).

      3º – Playstation original vem mais tarde a ser renomeada PS1 porque inicialmente era só a Playstation, a sua nomenclatura actual é Playstation, PS1 ou PSX. A Playstation é a versão melhorada da versão inicial.

      4º – A Playstation foi lançada e Dezembro de 1994 e a Playstation one em Março de 2000, também em 2000 a Sony lançava a PS2.

      5º – Os preços tem lá os links é… seguir os seus dedos…

      • Porque não aprovaram a minha resposta?

      • 1º – não consigo encontrar uma fonte para obter um número exacto das vendas do Game Boy clássico, mas esses 35 milhões parecem-me credíveis.

        2º – acho que isto já foi bastante falado por aqui, por mim e por outras pessoas…os exemplos que apresenta são de casos muito pontuais e provavelmente, muitos deles, nem sequer foram vendidos, apenas acabou o tempo do leilão. Também acontece muitas vezes o próprio vendedor comprar o seu próprio produto utilizando outra conta, apenas para o valorizar. Portanto, acreditar no primeiro anúncio que se encontra e tomá-lo como a regra ou “verdadeiro” é perigoso, especialmente para quem está a fazer uma peça de jornalismo.
        Quanto ao eu “estar a atirar para o ar”, engana-se. Ao contrário do que foi feito neste artigo, as minhas fontes vêm da realidade. Sou coleccionador há algum tempo e estou habituado a navegar no mercado retro. Basta fazer uma pesquisa por “sold listings” no ebay e aí tem exemplos muito mais reais, ou então ir aos sites nacionais, como OLX e afins. Vê logo que a realidade é completamente diferente do que refere no artigo.

        3º – Continua a ter erros. Apesar de muitas vezes ser um termo utilizado largamente, é errado chamar PSX à PS1. PSX é uma coisa muito diferente, como pode ver aqui: https://en.wikipedia.org/wiki/PSX_(video_game_console)
        Depois, a última frase que colocou neste ponto deve ter alguma coisa em falta, pois não faz muito sentido…: “A Playstation é a versão melhorada da versão inicial.”

        4º – agora sim, correcto. Algo que poderia ter sido facilmente evitado, caso a pesquisa tivesse sido bem feita (ou simplesmente se tivessem conhecimento básico no assunto). Erro fruto da desatenção e de não saberem totalmente do que estão a falar…

        5º – novamente, esta questão já foi explicada por mim anteriormente no ponto 2 e noutros comentários. O que disse em relação aos preços do Game Boy, o mesmo se aplica aqui.

        • Vamos lá então ver ponto a ponto.

          1º – não consigo encontrar uma fonte para obter um número exacto das vendas do Game Boy clássico, mas esses 35 milhões parecem-me credíveis.

          Há alguma informação que refere esse valor como sendo o valor de vendas, excedendo a expectativa dos responsáveis em 10 milhões, salvo erro.

          2º – acho que isto já foi bastante falado por aqui, por mim e por outras pessoas…os exemplos que apresenta são de casos muito pontuais e provavelmente, muitos deles, nem sequer foram vendidos, apenas acabou o tempo do leilão. Também acontece muitas vezes o próprio vendedor comprar o seu próprio produto utilizando outra conta, apenas para o valorizar. Portanto, acreditar no primeiro anúncio que se encontra e tomá-lo como a regra ou “verdadeiro” é perigoso, especialmente para quem está a fazer uma peça de jornalismo.
          Quanto ao eu “estar a atirar para o ar”, engana-se. Ao contrário do que foi feito neste artigo, as minhas fontes vêm da realidade. Sou coleccionador há algum tempo e estou habituado a navegar no mercado retro. Basta fazer uma pesquisa por “sold listings” no ebay e aí tem exemplos muito mais reais, ou então ir aos sites nacionais, como OLX e afins. Vê logo que a realidade é completamente diferente do que refere no artigo.

          Mas a venda não terá sido consumada, consegue afirmar isso? É que tem tanta certeza como eu, contudo há casos em que há relatos efectivos da venda e outros que estão os links para o portal do sitio online, onde pode dizer ended mas não nos diz se foi ou não transaccionado o produto. E há imensos casos que foram a leilão e foram vendidos por preços substancialmente acima do valor real. Não sei qual é a dúvida, inclusive a peça jornalística está assinada originalmente, onde o artigo foi adaptado, por uma profissional da BBC, Lucía Blasco, que podemos sempre falar com ela, e tentar perceber onde ela recolheu a informação.

          3º – Continua a ter erros. Apesar de muitas vezes ser um termo utilizado largamente, é errado chamar PSX à PS1. PSX é uma coisa muito diferente, como pode ver aqui: https://en.wikipedia.org/wiki/PSX_(video_game_console)

          Depois, a última frase que colocou neste ponto deve ter alguma coisa em falta, pois não faz muito sentido…: “A Playstation é a versão melhorada da versão inicial.”

          Esta dou-lhe de barato, confesso que sempre a conheci como PS1, contudo há vária terminologia associada a PSX, como pode ver aqui: https://en.wikipedia.org/wiki/PlayStation_(console) e passo a citar: The PlayStation (officially abbreviated as PS, and commonly known as the PS1 or PSX) is a home video game console developed and marketed by Sony Computer Entertainment.

          4º – agora sim, correcto. Algo que poderia ter sido facilmente evitado, caso a pesquisa tivesse sido bem feita (ou simplesmente se tivessem conhecimento básico no assunto). Erro fruto da desatenção e de não saberem totalmente do que estão a falar…

          Pelo que vi também tem várias falhas sobre o assunto, não está na posse de todos os dados e por isso faço minhas as suas palavras, contudo a informação que colocamos abrande de forma sucinta, e poderá faltar algo, o que alertados colocaremos sem qualquer problema.

          5º – novamente, esta questão já foi explicada por mim anteriormente no ponto 2 e noutros comentários. O que disse em relação aos preços do Game Boy, o mesmo se aplica aqui.

          Voltamos ao mesmo e repito o que disse no ponto referido. O que não faltam são exemplos de gadgets vendidos a preços incríveis. E iremos ver sempre cada vez mais, até porque o mercado dos coleccionadores está a crescer.

          • 3º – a palavra-chave está em “commonly”, ou seja, é comum chamarem-lhe isso, tal como eu já tinha dito…o que não significa que seja correcto. Para perceber melhor, copio para aqui a explicação que foi dada na página do facebook da Pplware pelo utilizador Édi Fernandes: ” PSX é nome dado pela Sony no Japão ao hardware que funcionava como um Video Gravador Digital que tinha uma PS2 integrada, foi o primeiro hardware a usar o sistema XMB que vemos na PSP e PS3. PlayStation hoje em dia refere-se à marca e não à consola, pois não saiu só a PS1 pois não? PS1 é o nome dado à primeira consola da PlayStation a ser lançada, PSOne é nome dado à versão com ajustes que saiu depois (nascimento daquilo que conhecemos como modelos Slim da PS, Exemplo: Temos a PS2 Original (Fat) e a Slim (versão com ajustes), bem como a PS3, PSP e PS Vita têm), costuma-se chamar PSX à PS1 pois na América do Norte a divisão da Sony planeava promover a consola pelo seu nome alternativo (que chegou a ser usado como nome de código do projeto), PSX.”

            Quanto ao resto, leve a bicicleta… Prefiro ficar visto como “o que abandonou a discussão” do que continuar a argumentar com uma pessoa que tem palas nos olhos…

          • Já vi que ficaste aborrecido com o link e a explicação que coloquei, não fiques. Apenas, como te disse, foi com base nessa explicação que foi colocado, não te aborreças.

            Podemos debater estes pontos na Taberna Das Comadres.

            Abraço 😉

  8. Cristiano Baptista

    Seria melhor especificar o estado dos artigos a que se refere.

    Dando um exemplo:

    Uma Ps1/Psone nao vende por esses valores a não ser que esteja selada de fábrica. Selada. Não é, nem nunca foi usada, nem o selamento da caixa foi mexido. Neste caso uma consola destas usada nem 30€ vale. O mesmo para um Gameboy – selado vale esses valores, já completo em caixa nem chega a 1/10 desses valores.
    Isto faz com que gente ignorante que possui alguns destes artigos faça algo ignorante – vão pedir esses valores pelo Olx e afins (entao conhecendo o povo Português, nem querem saber, só vão ler a parte dos €€€).

    Eu ainda acredito na parte dos Iphones, pessoal que compra Apple geralmente “gosta” de pagar mais caro.

    Resumindo, seria melhor colocar no artigo as diferenças entre selado de fábrica, selado de fornecedor, usado em muito bom estado e completo em caixa, etc, é nessa diferença que se nota as diferenças de valores (diferenças extremas).

    O artigo como está…é para desinformar o público.

    • Se ler bem o artigo e se quiser seguir o link da fonte, verá que está lá toda a informação. Já agora, onde se suporta para afirmar o que está a afirmar?

      Nós deixamos vários links de vendas efectivas sobre o que afirmamos e o Cristiano? É empírico?

      • Olá Vítor, os links parecem me de items terminados e não vendidos, alguns deles foram até “relisted”.

        • Mas segundo a BBC há vendas efectivas (além de vários relatos, um deles na Austrália). Contudo mesmo que algumas não se tenham concretizado ou que não se saiba se foram ou não efectivadas, várias foram terminadas e muitas outras sabemos que existem no limiar da “loucura”, no que toca a venda de gadgets.

  9. Fernando Marques

    Boa tarde:

    Após ver os links e “seguir os meus dedos” reparei que nenhum dos itens (pelo menos o gameboy e PS1) foi de facto vendido como nos traduz o seu texto… Se tivessem sido vendidos teriam o selo de “Sold” e não de “Ended”… E é de facto muito simples perceber porque….porque os preços estão ABSURDAMENTE altos… Em relação aos outros itens não posso dizer se de facto os preços são ou não os apresentados mas nas consolas, e sendo eu coleccionador, lhe garanto que o primeiro GameBoy ou uma PS1 não vale nem um décimo do que aqui diz…. Quer que lhe de alguns exemplos…? Dirija-se a uma CashConverters no Porto e veja quanto pedem por uma PS1…12€… Por um GameBoy dos primeiros…? 15/20€… Tenho vários na minha colecção tanto gameboys como PS1 de vários modelos, nunca paguei nem perto dos valores que apresenta, esses valores só são exequíveis caso o itens esteja SELADO de fábrica e mesmo assim não é normal chegarem a preços tão altos.
    Apenas comento aqui pois acho que este tipo de artigos é desinformação….sem tirar nem por… Como já foi aqui dito em anteriores comentários, estes artigos no pais em que vivemos, só faz com que as pessoas quando encontram este tipo de itens achem que eles de facto valem o que os senhores estão aqui a dizer….o que está MUITO longe da verdade….quando muito especifiquem o estado em que os itens tem que estar para valer perto desses valores..e certifiquem-se que de facto foram vendidos…que não é o caso… Eu posso pedir 100 mil euros pelo meu Fiat Uno no ebay…significa então que ele vale 100 mil euros…? Não me parece….

    • Não era a primeira vez que um artigo era vendido por um preço incrível, não se lembra que há uns tempos foi vendido um telemóvel com jogo Flappy Bird por um preço incrível?

      Mas com diz a CNN há equipamentos que foram de facto vendidos por preços exorbitantes, mesmo no mercado nacional o fernando não dar nada por eles. Siga os links e podemos sempre questionar o site de venda para saber se foram ou não vendidos.

      • Só porque uma vez ou outra acontece um artigo ser vendido por um valor exorbitante, isso não faz disso uma regra. São “acidentes” que acontecem esporadicamente. Tal como já foi dito por mim noutros comentários (um deles não foi aprovado e não aparece, não sei porquê) e agora pelo Fernando Marques, os preços reais andam muito longe do que aqui foi apregoado neste artigo.
        Se queriam fazer um artigo que mostrasse apenas casos pontuais em que esses aparelhos venderam por quantias astronómicas, então tinham de explicar as condições em que eles estavam e dizer que são casos pontuais, e não o “normal”. O artigo, tal como está, tem muita desinformação e é enganador para as pessoas que não estão por dentro do assunto.

        • Primeiro não era verdade, depois não faz disso uma regra… não concordamos mas não há necessidade de andar a inventar argumentos. Quantas vezes lemos e vemos estas vendas incríveis que acontecem no mundo dos coleccionadores? Quantas vezes nos leilões vemos casos de preços incríveis de gadgets que o seu real valor é muito inferior? Mas o Miguel deve estar muito distraído, porque não segue atentamente o mercado, só pode. 🙂 Até parece uma pessoa que não lê os jornais, não vasculha as Internet que está cheia destes casos. 🙂 O Miguel sabe bem que é verdade 😉

          • Eu é que não estou atento?? Agora soltei uma gargalhada!
            O Vítor refere que lê jornais e vasculha a internet…mas colecciona consolas e jogos retro? Alguma vez comprou ou coleccionou alguma coisa desse mundo? Costuma acompanhar o que se vende pelas comunidades (em Portugal e pelo ebay)? Duvido muito.
            Mais uma vez, tente perceber: acredito que tenham acontecido esses casos que menciona no artigo, no entanto, são apenas isso mesmo…casos pontuais e com características especiais! No mercado “real” é raríssimo isso acontecer e, portanto, não me pode dizer que é normal um Game Boy vender por 500 ou 600$.
            Se quer continuar a bater no mesmo e enganar as pessoas que não percebem do assunto, força, não o vou impedir. Não tente é enganar quem tem os olhos abertos.

          • É pena perder a argumentação e que podíamos ter aqui um momento de mais informação quando se perde em pequenos momentos infantis. Mesmo que não concorde com os preços referidos ou eventualmente que todos tenham sido vendas, como refere a jornalista da BBC, tem oportunidade de provar que os que não estão listados como vendidos de facto não os foram, mas consiga pelo menos, não diga que é impossível, porque sabemos que não há impossíveis, quer pela experiência deste meio, quer pelo valor que alguns gadgets ganham com o passar dos anos, basta ver o valor do iPhone 1, por exemplo.

  10. ‘É pena perder a argumentação e que podíamos ter aqui um momento de mais informação quando se perde em pequenos momentos infantis.’

  11. Hernâni Piedade

    Tenho quase todos os artigos que ai anunciaram, se quiserem vendo por metade do preço e ainda podem vender e lucrar 😀

  12. Sim claro… O tipo que comprou a Playstation a 849$ tinha 16 pontos de feedback (um pouco suspeito para fazer já compras desse valor). Ainda para mais quando é fácil encontrar artigos semelhantes nas mesmas condições por menos de 200$. Mas têm de estar mesmo seladas de fábrica e ter a sorte de haver alguém doido o suficiente para as querer comprar. Pois por em caixa sem estarem seladas de fábrica o preço cai para os 50$ e sem caixa para o 25$.

    O conhecimento empírico que menosprezou num dos comentários anteriores, vale muito mais nesta área que qualquer formação académica que possa ter. É preciso ter em conta um enorme leque de factores para viabilizar um valor alto para as consolas que referiu no artigo, e existem sempre o risco de serem falsas comprar com o intuito de inflacionar o preço (o pessoal adora o drama e o horror).

    Repare que na contradição que existe em afirmar os milhões de consolas vendidas com os preço altos que ilustrou. Não uma das regras mais elementares do mercado que afirma que a falta de oferta e aumento de procura que aumentam o valor do artigo?

    Enfim… =/

    • Disse tudo, a loucura, lembra-se da loucura que gerou o anúncio do fim do flappy bird? Lembra-se na altura de terminais a estarem á venda por milhares de euros (inclusive em Portugal)? 🙂 Quantas loucuras foram cometidas nessa altura e quantas vendas não foram feitas, segundo vários relatos?

      Qual drama ou horor… é a internet dos dias de hoje meu caro 😉 Mas verá mais casos destes, ou melhor, há casos destes todos os dias, cada país tem os seus, de não é na tecnologia é noutro segmento qualquer.

      • Então segundo o Sr. as pessoas andam todas loucas a ponto de dar centenas de euros por Playstations e Gameboys é isso?

        E segundo o artigo, alguns de nós temos essa quantidade dinheiro vivo, garantido nas nossas arrecadações com esses itens é isso? (pelo menos é essa a sensação deixada pelo artigo nesses tópicos)

        Muito bem, então porque é que (numa rápida pesquisa) eu vejo várias PS1 vendidas abaixo das 30£(no máximo e já com jogos)no ebay, e no OLX estão vários negócios por volta dos 20-30€(ou seja, que nem vendidas estão)? Se a loucura é tanta, porque é que não andam em valores pelos 100/200/300€? Já que os únicos valores mencionados nos artigos encontram-se acima dos 800 e 600 dólares? Pois…

        Se o objectivo era fazer deste artigo, uma noticia chamativa de tablóide ao invés de informar correctamente sobre o tema, parabéns conseguiram. Porque em relação ao retrogaming estão muito errados (Walkmans hi-pads, e telemóveis não percebo nada e dou-vos todos os créditos).

        Mas tenho pena, até porque tenho a PplWare em conta. Mas o tipo de respostas sem nexo que são dadas aqui levam-me a ir mudando de opinião. Lemento

        • A sua interpretação é estranha!!! Todas são quantas? É que se estivermos a falar em várias unidades de vários destes gadgets, que estiveram à venda por valores exorbitantes (uns foram vendidos ou não se sabe) não são todas, são só aquelas que de facto têm algo que as impulsiona a fazer e que têm dinheiro para certas loucuras.

          Isto vai ao encontro do que eu referi já nalguns comentários, há nichos como o coleccionismo onde se encontram certos negócios com preços loucos. Os jogos são um deles.

          Mas há mais, nos gadgets, por exemplo, também se vê e lê negócios que muitas vezes parece impossível haver quem pague… mas realmente há quem pague.

          Outro caso interessante é no mundo dos automóveis antigos, há preços de automóveis que são autenticas loucuras.

          Não faltam exemplos, mas os muitos que existem, não são “todos”, são só alguns 😉 poucos.

Deixar uma resposta


Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.



×