Socorro... o meu computador está com febre!!! | Pplware Kids

Socorro… o meu computador está com febre!!!

Chegou o calor e o seu computador começou a desligar-se? Nota que durante algum tempo funciona mas depressa fica lento? Estranha que agora faça mais barulho, ao ponto de ser incomodativo o som das ventoinhas de arrefecimento? Provavelmente o seu computador está com febre, o melhor é tratar-lhe da saúde. Vamos fazer algo para resolver esse problema.

laptop-on-fire2

 


A alta temperatura é o pior inimigo dos componentes electrónicos, quaisquer que sejam eles, levando ao seu deterioramento gradual. É um pouco como o envelhecer de um ser vivo mas, no caso electrónico, se forem tomadas as devidas precauções, é possível durarem mais tempo do que aquele que nos serão úteis.

Para ajudar na monitorização, um dos softwares mais completos é o AIDA (trial).

 

Limpeza dos componentes

Num PC de secretária (desktop), os componentes aos quais se deve dar atenção são, por ordem decrescente de relevância, os discos rígidos, o processador, a memória RAM, a motherboard, a fonte de alimentação, a placa gráfica e eventuais placas PCI. Antes de qualquer passo na optimização de temperaturas deve ser feita uma limpeza exaustiva a todo o pó e cotão no interior da caixa. O ideal é usar um compressor (exige cuidado devido ao ar húmido de alguns compressores) ou um aspirador e posteriormente uma trincha seca nova (nunca utilizada em pintura).

laptop-on-fire1

Em primeiro lugar é essencial que haja circulação de ar (ou airflow) na caixa do computador. Esse airflow está bastante bem explicado na nossa wiki e pode ser visto aqui. Um bom airflow toma logo conta do arrefecimento dos discos rígidos (que por norma perderão informação com temperaturas a partir dos 55 ~ 60ºC), da memória RAM e da maioria dos elementos passivos da motherboard, evitando assim um dissipador a esses componentes. Note-se que temperatura do disco deve ser mantida sempre abaixo de 40ºC. A caixa do computador não deve estar enclausurada num compartimento apertado pois bloquear-lhe-á o airflow.

A próxima imagem é do meu PC e tem representado o meu esquema actual de airflow. Por norma é o método que mais se usa. Para quem estiver interessado e precisar de ideias, pode começar por entender este. Na imagem, a descrição “120mm” e “80mm” refere-se ao tamanho da ventoinha nesse mesmo lugar; está uma ventoinha de 120mm dentro do dissipador do CPU e uma de 80mm no topo da caixa, não visíveis na foto.

Uma das placas PCI que uso é placa de TV que aquece bastante. É essencial haver circulação de ar naquele local.

Outro componente essencial na refrigeração (se não o principal) que por norma é desprezado pela maioria dos utilizadores é a pasta térmica.

Tal como se sabe, a função da pasta térmica é conduzir a energia térmica de forma a permitir a sua dissipação. Grande parte dos fabricantes de componentes que necessitam de pasta térmica não usa uma boa pasta térmica nem a colocam de forma correcta.

 

Aplicação da pasta térmica

  • Limpar devidamente ambas as superfícies de contacto. Usar um pano húmido em álcool se necessário. Certificar que não há sequer um grão de pó em qualquer das superfícies;
  • Verificar se a superfície do dissipador está bem polida. Deve ser lisa e regular. A melhor forma de o verificar é tentar espelhar algo com a sua superfície. Caso o resultado não seja o ideal deve-se proceder ao polimento (falado mais à frente);
  • Deve ser colocado um pouco de pasta térmica na superfície do componente e espalhá-la uniformemente (com a ajuda de uma pequena espátula lisa, p. e. um cartão SIM inutilizado), de modo a que o resultado final seja uma camada fina de pasta térmica (na imagem pode não parecer mas a camada de pasta é mesmo fina).

pasta_termica

  • Na superfície do dissipador deve-se também colocar um pouco de pasta térmica e espalhá-la (com o dedo isolado de plástico) na área que irá estar em contacto com o componente. O objectivo é pressionar a pasta para que todos os poros sejam tapados, onde deverá também ficar uniforme dentro dos possíveis.
  • Após isso é só encostar cuidadosamente ambas as superfícies e fixar devidamente o dissipador.

No entanto, por exemplo a Arctic Silver descreve procedimentos um pouco diferentes que podem ser vistos aqui.

Existem também muitos locais por esta Internet fora que aconselham a colocar pasta térmica desta forma sem a espalhar. Pois bem, já o experimentei e é bastante difícil exercer correctamente uma pressão sobre o dissipador que espalhe uniformemente essa pasta térmica. Portanto desaconselha-se.

Quanto às melhores pastas térmicas, aconselho a Tuniq TX-2, OCZ Freeze e Arctic Silver 5.

 

Polimento do dissipador (caso necessário)

Antes de partir para o polimento é necessário avaliar a rugosidade da superfície. Caso seja “quase espelho” deve ser usado apenas um líquido de polimento (no qual deverá incluir o modo de usar). O que uso é bastante bom: “HG polish abrilhantador para cobre”.

Caso seja necessário ir mais além, deve ser usada uma lixa de água nº 800 no mínimo, onde o ideal será nº 1200 (mais difícil de encontrar à venda). A lixa de água, como o nome indica, deve ser molhada em água e colocada numa superfície plana de modo a que o desgaste seja uniforme em toda a superfície de contacto do dissipador. Após ser desgastado o necessário, deve ser então usado o líquido de polimento.

Após ter os dissipadores optimizados e um bom airflow (que implica várias ventoinhas, como esquematizado acima) é útil ter um regulador para todas as ventoinhas, tanto para colocar o PC silencioso como para usar na máxima performance para overclock.

Será possível controlar por software a velocidade das ventoinhas ligadas à motherboard usando, por exemplo, o Speedfan.

A par com o software existem vários tipos de controladores de ventoinhas, relativamente baratos, que dão imenso jeito e melhoram a estética da nossa máquina.

Caso se verifique alguma zona na motherboard exageradamente quente (normalmente a zona circundante ao CPU) é aconselhável colocar lá uma ventoinha suspensa, devidamente fixa e a apontar para a zona que necessita de dissipação activa.

NOTA 1: antes de remover qualquer dissipador é aconselhável que o PC tenha trabalhado alguns minutos pois, uma vez estando esse dissipador relativamente quente, será mais fácil a separação dele com o componente.

NOTA 2: nunca ligar um componente sem o devido dissipador pois, caso esse componente não tenha uma protecção interna, queimar-se-á imediatamente.

NOTA 3: o Pplware e o autor deste artigo não assumem qualquer responsabilidade por eventuais danos causados pela adulteração ou má execução dos procedimentos acima descritos.

Arquivado na categoria: Curiosidades, O meu computador


5 Comentários

  1. Fernando Telmo Silva Santos

    Fixe,gostei de saber obrigado!

  2. Desde que li e vi demonstrações no youtube sobre como aplicar pasta térmica sem a espalhar (apenas colocar uma gota no centro do respectivo chip/processador pois a pressão do dissipador espalha a pasta) tenho optado por esse sistema. Os resultados tem sido bons e é muito mais prático!

    Pergunta: este método é melhor, igual ou pior do que espalhar a pasta?

    • É insignificante… Durante anos se bateu nisso não sei por irregularidade dos componentescomponentes. Mas a verdade é que foram feitos testes e não valia a pena. Uma pasta mal espalhada é pior do que a gota no meio… É preferia a gota. O que faz grande diferença é o polimento das superfícies. No entanto… Mais uma vez… Se mal feito é pior…

  3. O meu pc portátil está a precisar de mudar a pasta térmica, mas eu não tenho conhecimentos suficientes para a mudar, e não é facil abrir o pc… Onde me aconselham a mudá-la, e em quando é que fica?

    • Vai em alguma assistência técnica. Qualquer assistência faz esse serviço, independente da marca do notebook. Eu faço constantemente esse serviço para clientes, mas moro no Brasil. Aqui no Brasil isso custa cerca de R$ 80,00, mas pode variar pra mais ou pra menos.

Deixar uma resposta


Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.