Lógica de Programação - Vamos começar? #2 | Pplware Kids

Lógica de Programação – Vamos começar? #2

Olá amigos! Tudo bem?

Hoje em dia, estamos rodeados de tecnologia: desde o simples comando da televisão ao computador super moderno que saiu recentemente. Esta saga de posts tem como intuito iniciar-te no mundo da programação de forma fácil e suave. Vais aprender desde o mais simples até… vamos ver onde vamos chegar!

Depois do primeiro artigo no sábado passado, voltamos hoje com dois temas em destaque: conversão da linguagem de programação em linguagem da máquina e máquinas virtuais (hmmm… não tínhamos falado já disso?).

programacao_comecar


Na semana passada falámos sobre o que é um programa, sobre a linguagem da máquina e sobre a linguagem de programação. Mas, se o computador percebe a ”linguagem da máquina” e nós percebemos a ”linguagem de programação” como é que comunicamos com a máquina? Hmmm… E existe alguma forma de escrever um programa que execute em todas as plataformas? Vamos ver!


Compilador – O que é?

Como te explicámos na semana passada, os computadores são capazes de processar código escrito na linguagem da máquina e, ao mesmo tempo, vimos que é horrível escrever um programa na linguagem da máquina devido à sua dificuldade de compreensão e que para colmatar este problema existem as linguagens de programação. Então surge a pergunta que já tinha dito: como é que o máquina executa o código escrito por nós?

É aqui que entram os compiladores que têm um papel importantíssimo na criação de programas. Os computadores não executam o código escrito na linguagem de programação por isso, existem os compiladores  que são uma espécie de tradutores que traduzem o código fonte (código na linguagem de programação) em código da máquina!

Atenta no esquema abaixo:

Código Fonte => Processador => Não Funciona
Código Fonte => Compilador => Código da Máquina => Processador => Funciona


Máquina Virtual – O que é?

Há uns tempos, falámos de máquina virtuais para virtualizar sistemas operativos (ver aqui) mas hoje vamos falar novamente de máquinas virtuais mas, desta vez, é um conceito diferente do que já havíamos falado.

Como já vimos, o programa funciona na plataforma e o programa y funciona na plataforma ySe uma empresa quisesse criar um programa que estivesse disponível para funcionar em 3 plataformas tinha que escrever esse programa em 3 linguagens diferentes consoante a plataforma. Vê:

Programa 1 => Plataforma 1 => Funciona
Programa 2 => Plataforma 2 => Funciona
Programa 3 => Plataforma 2 => Não Funciona

Mas, com uma máquina virtual, podemos criar um programa que funcione nas três plataformas mas, de qualquer forma tem que existir uma máquina virtual para cada plataforma, então? A diferença aqui é que implementar a máquina virtual não é tarefa do programador que cria o programa mas sim de outras empresas como, por exemplo, a Oracle JVM para a linguagem de programação java. Então, ficaria um esquema assim:

Programa => Máquina Virtual 1 => Plataforma 1 => Funciona
Programa => Máquina Virtual 2 => Plataforma 2 => Funciona
Programa => Máquina Virtual 3 => Plataforma 3 => Funciona

E foi esta a nossa lição de hoje. Para a semana há mais e com muitas novidades!

Arquivado na categoria: O meu computador


Deixar uma resposta


Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.



×