Baterias de Lítio - As mentiras desmentidas! | Pplware Kids

Baterias de Lítio – As mentiras desmentidas!

Hoje em dia, quase todos nós temos um ou mais aparelhos cuja bateria é de lítio. Existem inúmeras coisas que dizem sobre estas baterias como, por exemplo, que viciam ou que temos que as descarregar por completo para as voltar a carregar! Hoje, vamos descobrir se estes ditos são verdade ou mentira!

bateria_portátil


Vamos começar pelo primeiro mito que é o efeito memória ou seja, a bateria ficar “viciada”.
 

A bateria pode ficar “viciada”?

Uma bateria de lítio não fica “viciada” portanto, andar a descarregar completamente e carregar apenas quando descarregada é um processo completamente inútil e por vezes prejudicial, como vais ver mais abaixo.

 

Devo tirar a bateria ou não quando o portátil está ligado à corrente?

A resposta depende, por isso é Sim Não.

Mas depende do quê?

Não faz mal ter a bateria a 100% e o carregador ligado pois a bateria, assim que chega a esse ponto, deixa de receber energia e esta é automaticamente passada para o sistema de alimentação do portátil. Mas existe uma desvantagem em manter a bateria no portátil quando ligado à corrente, mas apenas, se esta estiver muito quente gerado pelo hardware do portátil.

Assim, concluímos o seguinte:

  • Uso normal do portátil sem aquecer -> Manter a bateria.
  • Uso intensivo com grande aquecimento (p.ex. Jogos) -> Retirar a bateria para que esta não aqueça.

Já agora, o calor que está aliado ao facto de estar a 100% de carga é o grande inimigo da bateria e não do cabo transformador!

É preferível fazer vários carregamentos parciais ou seja, carregar quando o aparelho tem 20%~30% de carga e frequentes recargas do que fazer um descarregamento total e carregar totalmente!

Assim, podemos também concluir que, a cada 30 carregamentos parciais, devemos fazer uma descarga completa seguida de uma carga completa.

Tenham em atenção estes pontos que são muito importantes para a conservação das vossas baterias (não vossas, mas vossas do vosso computador)!

 

 

Arquivado na categoria: O meu computador


26 Comentários

  1. Afinal só desmentiram uma mentira xD

  2. As mentiras continuam!
    Disparates! As baterias de litio viciam!!!
    Tenho um portatil e um telemovel com a bateria de litio viciada apesar dos cuidados!!!

    Essa é uma grande mentira que acabou de ser desmentida…
    Quem desmentiu??? Quando??? Aonde??? E como???

  3. É obvio que viciam…
    Eu tive um portátil que tinha sempre cuidado de a retirar etc etc e a bateria nunca viciava.
    Comcei a ler que elas não viciavam e deixei de ter cuidado. Rapidamente passou de 2h de duração para 40 minutos…

  4. A conclusão a tirar então é que um abateria tem um numero máximo de cargas totais e quue o rendimento baixa progressivamente . Esses dados deveriam então ser do conhecimento do utilizador. Saber anrecipadamente o que +e suposto acontecer. E Verificar se a nossa bateria está ou não fora do normal.

  5. AS baterias de litio não viciam, isso é verdade. O problema coloca-se no tempo de vida útil de uma bateria litio que é cerca de 2 a 3 anos.

  6. 1º por alguma razão a garantia das baterias é de 6 meses.

    2º mais depressa se estraga os contatos entre a bateria e o portátil de tanto a montar/desmontar que ela própria se “estraga” (comprovado diversas vezes)

    3º nada é eterno

    • 1º -> é ilegal, de acordo com a legislação, e as baterias TÊM 2 anos de garantia, embora algumas marcas digam que não. Se o cliente contestar, mesmo que tenha de se “aborrecer”, terá razão.

      • Por acaso gostaria de saber onde é que está escrito que as baterias têm 2 anos de garantia.

        É que uma coisa é o que está escrito, outra coisa é a forma como cada um interpreta o que está escrito.

        A garantia de 2 anos para bens móveis apenas se aplica a bens não consumíveis.

        As baterias de litium por ser por serem considerados bens consumíveis e de duração limitada (ciclos de carga) consoante diversos factores externos que influenciam os mesmos, não existe prazo de 2 anos:

        DL n.º 67/2003, : “Os bens e serviços destinados ao consumo devem ser aptos a satisfazer os fins a que se destinam e a produzir os efeitos que se lhes atribuem, segundo as normas legalmente estabelecidas, ou, na falta delas, de modo adequado às legítimas expectativas do consumidor.

        n.º 1 e 2 do artigo 3.º do DL. n.º 67/2003 (é relevante o n.º 2, quando se refere à natureza do bem: “As faltas de conformidade que se manifestem num prazo de dois ou de cinco anos a contar da data de entrega de coisa móvel corpórea ou de coisa imóvel, respectivamente, presumem-se existentes já nessa data, salvo quando tal for incompatível com a natureza da coisa ou com as características da falta de conformidade” com o disposto no artigo 208.º do Código Civil (“São consumíveis as coisas cujo uso regular importa a sua destruição ou a sua alienação. “), se chega à conclusão de somente são abrangidos pela garantia legal de 2 anos os bens móveis não consumíveis.

        • Antonio, esses artigos são sempre informação útil, no entanto continuam a ser susceptíveis de diferentes interpretações.

          Ao comprar um computador, estamos a comprar um único produto. Ele até lá tem um disco rígido que tipicamente tem garantia de 3 a 5 anos, mas por estar incluído no computador tem apenas de 2 anos, como fazendo parte do conjunto. Se for retirado e for reclamada a garantia com o respectivo fabricante, então é suposto que seja abrangido pela garantia original, mas directamente com o fabricante.

          Dizer que um produto tem 2 anos garantia MAS a bateria tem 6 meses costuma valer para protecção do próprio distribuidor (não necessariamente o fabricante) e fazem-se valer da lei omissa (demasiado genérica). No entanto, posso garantir-lhe que o cliente tem direito a 2 anos de garantia de uma bateria incluída num produto electrónico.

          Acrescento que trabalhei há alguns anos (não mais que 7, portanto abrangido por esses DLs) numa unidade de reparação de equipamentos ópticos e fotográficos, de uma marca conceituada, e os procedimentos internos eram referir ao cliente que as baterias tinham garantia de 6 meses… Se o cliente fosse mais esperto que isso e alegasse o que eu acabei de referir acima, então ser-lhe-ia dada a razão e a bateria passava a ser abrangida por 2 anos de garantia, tal como o produto a que pertence, obviamente.

          Eu próprio já “regateei” a garantia de uma bateria, com um marca diferente daquela onde trabalhei, e “saí vencedor”.

  7. Relativamente ao excesso de temperatura poder prejudicar e reduzir a vida de uma bateria concordo plenamente. O excesso de temperatura e a humidade são os maiores inimigos dos componentes eletrónicos. Qualquer metal quando submetido a temperatura excessiva dilata e pode fundir, tanto que a maioria dos equipamentos dispõe de “fail safe mechanisms” e desligam-se (Ex: overclock excessivo sem o devido controlo da temperatura, fazendo com o computador se desligue).
    Tendo uma loja de informática a operar desde 96, vou apenas comentar a nossa experiência empírica. E coloco aqui algumas questões: Se o ideal, fosse carregar um portátil aos 20% pq é que o software apenas emite a necessidade de carga entre ~ os 3% e 8% e não aos 20%? As indicações das formações prestadas pelas marcas, é que é por a carregar quando o software o solicita. Relativamente ao número de ciclos de carga e descarga, é normal os fabricantes, fornecerem valores baseados num determinado número de ciclos de carga. Pelo que, apelando o senso comum, significa então que o número de ciclos, a partir de um determinado valor irá refletir-se numa redução da performance da bateria.
    Da minha experiência, temos tido todo o tipo de casos, baterias que vêm mortas, baterias que duram 6 meses e outras que duram 5 anos, ou até mais. Por regra as baterias devem ser armazenadas com alguma carga (verificam isso, pois quando compram o telemóvel novo se o ligarem ele normalmente funciona). Relativamente ao retirar a bateria, por norma, não vale a pena. Mas se estivermos a correr um antivirus, jogo ou tarefa que irá provocar um aquecimento abrupto do equipamento, aí deveria ser removida (pessoalmente confesso que não o faço, pois posso me esquecer e ao retirar o cabo sem a bateria a perda de dados é-me mais importante). A realidade é que, para os equipamentos novos, é expectavel durarem 3 anos sem problemas de maior (pq é que acham que vos oferecem a garantia de +1 ano se pagarem + um X, é, inclusivamente, uma exigência feita aos fornecedores de componentes, pelos fabricantes do produto, que durem, pelo menos os 3 anos). Sem me esquecer, já tivemos casos em que o cliente se queixou que a bateria vinha morta, se queixou a nós e se queixou diretamente à assistencia da marca e acabou por ficar com duas baterias e ao fim de 3 anos, ao experimentar a que não foi usada, dura exatamente o mesmo tempo! A resposta que posso arranjar que é o material se degrada, portanto é preferível usar. Isto já me faz lembrar a drogaria em frente à minha loja onde o dono me falava que não podia fazer grande stcok de silicones e outros consumíveis que ao fim de X tempo se estragava tudo. Relativamente às baterias já ouvimos várias versões e, da experiência de cada um, as discussões vão continuar. Fica aqui, apenas, o meu testemunho.

  8. não é preciso fazer nenhum estudo nem de ler artigos de fontes e com intenções desconhecidas, pois já tive baterias de litio a que dei distintos tratamentos, quer de descargas excessivas seguidas de cargas completas, quer de pequenas cargas frequentes sem deixar descarregar completamente, e é claro que ao fim de algum tempo acabou!!! DIGAM O QUE DISSEREM

  9. Por acaso algum dos “técnicos” tem formação em energia, potência, electroquímica, etc para estar a escrever?
    É que no meio de tanto disparate, tanta asneira e tanta imbecilidade, as poucas verdades acabam por passar despercebidas, ou, em última análise, acabam por se tornar aquilo que se quer combater: mitologia.

  10. Caros…vamos lá colocar os pés assentes na terra. Basta ter 2 neurónios para perceber que não é bom deixar a bateria a carregar sempre…senão vejamos:

    Aquece ou não aquece o transformador quando ligado à corrente?

    SIM. Aquece.

    Se aquece, então está consumir energia em que logicamente indica que está a transformar a energia dissipada em calor (física/química básica meus caros…). Ora isto não é bom para o bolso…entenda-se €.

    Paralelamente, existe algo electrónico dentro dos carregadores chamado de condensadores os quais tem dois enormes inimigos: o pó e o calor. A maioria dos condensadores pequenos está projectado para trabalhar até os 105ºC e embora exteriormente sinta-se o calor de uns 30-40º quando se toca no mesmo, internamente essas temperaturas poderão ascender aos 100ºC, especialmente no verão.

    Então, por conclusão, não é bom estar sempre com a bateria em carregamento, já que estamos a:

    a) consumir corrente eléctrica (deve-se sempre desligar o transformador da corrente)

    b) estamos a estragar o transformador sem o qual a bateria por si só não serve depois para nada.

    Era com este rigor de carácter mais técnico que deveria o Hugo ter escrito a notícia em vez de meramente dizer que “Uso normal do portátil sem aquecer -> Manter a bateria.” ou “Uso intensivo com grande aquecimento (p.ex. Jogos) -> Retirar a bateria para que esta não aqueça.”.

  11. Eu bateria, tu baterias, ele bateria…

  12. Bom texto 😉
    Dada a natureza deste artigo, aconselho a procurar alguma literatura científica, para apoiar as afirmações.

  13. O facto de tirar a bateria do portátil qd está a carregar para mim são tretas. Calor excessivo? Hum… alem do mais existe sempre os cooler para os portáteis. Outra coisa que ainda ninguém disse e que é mais importante que o dinheiro das baterias é os picos de corrente que sao absorvidos pelas baterias e não vão queimar o hardware do portátil além de como já foi dito evita que se desligue o comp acidentalmente que no caso de se estar a jogar por exemplo é um “choque” algo considerável para o sistema. É apenas mais uma opinião, cada um medite sobre o que foi aqui “dito” e o que mais poderá ser comentado ainda e tire as suas conclusões.

  14. se o tempo de vida útil de uma bateria de lítio é de 2/3 anos, porque é que eu tenho 2 tlm com 5 anos que uso alternadamente e só carrego depois da bateria estar totalmente descarregada e continuam a ter uma duração de dias após carga??será sorte?!?!?!

  15. Eu uso o meu Macbook Pro desde 2012, inícios desse ano mais concretamente, e 99% das vezes está sempre ligado à corrente.

    Fez até hoje 90 ciclos e a sua autonomia é praticamente a mesma.

    Se aquece? Sim aquece consideravelmente na zona de ligação da energia mas isso não é motivo para dizermos que perde autonomia e nem aumento significativo do consumo de energia.

    Nos Macs de forma genérica, o aquecimento, quer ligado à rede eléctrica, quer em utilização de bateria, a temperatura é um problema mais de performance do sistema que de qualquer outra ordem.

    Portanto, menos ciclos, mais vida útil da bateria, essa é a minha experiência de muitos anos.

    Se estiverem num sítio onde possam ter o portátil ligado à corrente eléctrica… liguem à corrente eléctrica, dessa forma, com a bateria em carga máxima permanente, evitam ciclos e vitalizam a performance da mesma.

    Um vez por mês ou de dois em dois meses, corram uma app para calibrar a vossa bateria.

  16. Foi bem esclarecido gostei…

Deixar uma resposta


Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.



×