Fístula pré-auricular: Sabe a razão de algumas pessoas terem um furinho na parte de cima da orelha? | Pplware Kids

Fístula pré-auricular: Sabe a razão de algumas pessoas terem um furinho na parte de cima da orelha?

Provavelmente nunca deu conta mas há pessoas que têm um milimétrico orifício, quase invisível, num canto superior da orelha. Sabe a razão?

A natureza é muito curiosa e por vezes a explicação não é tão simples.


Se não lhe parecer um pouco estranho, bizarro até, peça às pessoas próximas de si para que inspecionem as suas orelhas. Não, a ideia não é saber se estão “limpas”, a ideia é perceber se alguma tem um pequeno buraquinho na parte superior da cartilagem.

Se encontrar alguém que tenha esse minúsculo orifício explique que se chama fístula pré-auricular, também conhecido como seio pré-auricular. Esta particularidade, na maioria dos casos, é apenas uma curiosidade a mais do corpo humano. Contudo, nalguns grupos étnicos, pode estar presente em cerca de 10% da população.

 

O que é uma fístula pré-auricular?

Uma fístula pré-auricular, ou seio pré-auricular é uma malformação congénita comum caracterizada por um nódulo, dente ou covinha localizada em qualquer lugar adjacente ao ouvido externo. A frequência da fístula pré-auricular difere dependendo da população: 0,1 a 0,9% nos EUA, 0,9% no Reino Unido e 4 a 10% na Ásia e em partes da África. Sabe-se que a frequência comparativa é maior em africanos e asiáticos do que em caucasianos.

As fístulas pré-auriculares são características herdadas e, na maioria das vezes, aparecem unilateralmente. Estão presentes bilateralmente em 25% a 50% dos casos.

Essas peculiaridades são resultado de uma malformação congénita, que pode ter forma de nódulo ou de um furo que aparece perto do ouvido externo.

Não há muitos estudos sobre o tema, mas alguns dos que existem mostram que os furinhos são mais comuns na orelha direita do que na esquerda.

 

Mas porque aparecem?

As fístulas pré-auriculares aparecem por causa de uma fusão incompleta dos arcos branquiais no feto – estes arcos são estruturas-chave para o desenvolvimento da cabeça e pescoço.

Segundo o biólogo Neil Shubin em declaração ao site Business Insider, as fístulas pré-auriculares poderiam ser “remanescentes das guelras (órgãos da respiração) dos peixes”.

Também é possível que estes buraquinhos se formem por causa de “uma ligação anormal entre a pele e o tecido que fica por baixo”, segundo dados da Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos.

O que provavelmente aconteceu é que uma forma particular de desenvolvimento dessa parte da orelha evoluiu.

Na maioria das vezes, este processo ocorre normalmente, mas às vezes algo acontece e desenvolve-se uma fístula pré-auricular.

Referiu Vincent J. Lynch, professor do departamento de genética e anatomia na Universidade de Chicago.

Segundo um estudo da Escola de Medicina da Universidade de Yonsei, na Coreia do Sul, até 9% da população dos Estados Unidos poderia ter estes buraquinhos, enquanto na Ásia e em partes da África esse índice poderia chegar a 10%.

A investigação menciona que eles são mais comuns em pessoas negras e de origem asiática do que em pessoas brancas.

 

É algo preocupante?

De acordo com o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, as pessoas que possuem a fístula pré-auricular não têm nenhum sintoma adicional – a menos que o furinho fique infetado.

Nesse caso, o tratamento inclui antibióticos para a infeção ou uma cirurgia para remover o sinal de malformação.

De modo geral, ter uma fístula pré-auricular não representa nenhum problema. No entanto, se tiver qualquer dúvida, pergunte ao seu médico.

Via

Arquivado na categoria: Curiosidades, Saúde


Deixar uma resposta


Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.



×